Como funciona o CBD e a ciência por detrás do canabidiol

Artigo actualizado em Setembro, 2023

Recentemente, o canabidiol (CBD) tem vindo a conquistar o mundo do bem-estar. De óleos e tinturas a gomas e produtos tópicos, os produtos de CBD podem agora ser encontrados em prateleiras de todo o mundo. Embora muitas pessoas já tenham experimentado os benefícios do CBD em primeira mão, é crucial compreender a ciência por detrás deste composto cada vez mais popular. Compreender como o CBD atua no corpo é essencial para tomar decisões informadas sobre o seu uso e explorar as suas potenciais aplicações terapêuticas.

O Sistema endocanabinóide (SEC)

No cerne dos efeitos do CBD encontra-se o sistema endocanabinóide (SEC). O SEC é um sistema complexo de sinalização celular presente em todos os mamíferos, e a sua função principal é manter a homeostase, ou seja, o equilíbrio no corpo. É composto por três componentes principais: endocanabinóides, receptores e enzimas.

Os endocanabinóides são canabinóides naturais produzidos pelo corpo. Os dois endocanabinóides mais conhecidos são a anandamida e o 2-arachidonoylglycerol (2-AG). Estes endocanabinóides ligam-se a receptores canabinóides conhecidos como CB1 e CB2, que estão presentes em todo o corpo, mas são mais abundantes no cérebro e no sistema imunitário, respetivamente.

Definição de CBD

O CBD é um fitocanabinóide, um composto canabinóide derivado de plantas. É um dos mais de cem canabinóides encontrados nas plantas de cannabis, incluindo cânhamo e marijuana. Ao contrário do seu notório parente, o tetra-hidrocanabinol (THC), o CBD não é psicoativo, ou seja, não provoca sensação de “moca”.

O CBD é principalmente obtido a partir de plantas de cânhamo, que contêm níveis elevados de CBD e baixos níveis de THC. A marijuana, por outro lado, tem concentrações mais elevadas de THC e é conhecida pelas suas propriedades psicoativas. Esta distinção crucial torna o CBD derivado do cânhamo legal em muitos países, desde que contenha menos de uma percentagem específica de THC (0,2%, no caso de Portugal).

Interação com o sistema endocanabinóide

Uma vez consumido, o CBD interage de uma forma única com o SEC. Ao contrário dos endocanabinóides, o CBD não se liga diretamente aos receptores CB1 ou CB2. Em vez disso, influencia o SEC de forma indireta, modulando a atividade dos receptores e aumentando a produção de endocanabinóides.

Acredita-se que o CBD inibe a enzima amida hidrolase de ácido gordo (FAAH), responsável por degradar a anandamida. Como resultado, os níveis de anandamida aumentam, levando à ativação prolongada dos receptores CB1, que desempenham um papel na percepção da dor, no humor e na memória.

Além disso, o CBD pode influenciar indiretamente os receptores CB2 no sistema imunitário, ajudando a reduzir a inflamação e a promover o equilíbrio do sistema imunitário. Embora a interação do CBD com o SEC ainda não seja totalmente compreendida, a pesquisa sugere que desempenha um papel significativo na manutenção do bem-estar geral.

O Efeito do CBD nos neurotransmissores e na percepção da dor

Além da sua interação com o SEC, o CBD também afeta vários neurotransmissores no cérebro. O CBD demonstrou modular a libertação de neurotransmissores como a serotonina e o ácido gama-aminobutírico (GABA).

A serotonina é um neurotransmissor que desempenha um papel crucial na regulação do humor e no bem-estar mental. Ao influenciar os receptores de serotonina, o CBD mostrou potencial como ansiolítico, ajudando a reduzir os níveis de ansiedade e stress em algumas pessoas.

Além disso, o impacto do CBD na percepção da dor foi amplamente estudado. Ao interagir com os receptores vanilóides, o CBD pode ajudar a aliviar a dor e a inflamação. Isso torna-o numa opção promissora para pessoas que procuram alternativas naturais aos métodos tradicionais de gestão da dor.

Propriedades anti-inflamatórias e ansiolíticas do CBD

As propriedades anti-inflamatórias do CBD estão bem documentadas, e este aspecto do composto tem um potencial terapêutico imenso. A inflamação é uma resposta imunitária natural a lesões ou infecções, mas a inflamação crónica pode levar a vários problemas de saúde. A capacidade do CBD de reduzir a inflamação pode ser benéfica em condições como artrite, doença inflamatória intestinal (DII) e muito mais.

Os distúrbios de ansiedade, que afectam milhões de pessoas em todo o mundo, e os tratamentos tradicionais, são frequentemente acompanhados de efeitos secundários indesejados. A interação do CBD com os receptores de serotonina no cérebro oferece alguma esperança para pessoas que lutam contra a ansiedade. Embora sejam necessárias mais pesquisas, estudos iniciais sugerem que o CBD pode ajudar a gerir o transtorno de ansiedade generalizada (TAG), o transtorno de ansiedade social (TAS) e o transtorno de stress pós-traumático (TEPT).

CBD e neuroproteção

As potenciais propriedades neuroprotetoras do CBD têm despertado uma atenção significativa por parte dos investigadores. Estudos têm demonstrado que o CBD pode oferecer proteção às células cerebrais e auxiliar no tratamento de doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

Uma das formas como o CBD pode fornecer neuroproteção é através das suas propriedades antioxidantes. O stress oxidativo, causado por um desequilíbrio entre radicais livres e antioxidantes no corpo, pode levar a danos celulares e contribuir para o desenvolvimento de condições neurodegenerativas. Os efeitos antioxidantes do CBD podem contrariar esses danos, promovendo a saúde geral do cérebro.

Adicionalmente, as propriedades anti-inflamatórias do CBD podem desempenhar um papel na proteção do cérebro. A inflamação está associada a vários distúrbios neurológicos, e ao reduzir a inflamação, o CBD pode ajudar a mitigar parte dos danos causados por estas condições.

CBD e o sistema imunitário

A influência do CBD no sistema imunitário tem sido uma área de interesse crescente entre os investigadores. Embora sejam necessários mais estudos para compreender completamente o impacto do CBD na função imunitária, resultados iniciais sugerem que o CBD pode possuir propriedades imunomoduladoras.

A interação do CBD com os receptores CB2 nas células imunitárias pode ajudar a regular a resposta imunitária, reduzindo a inflamação e potencialmente auxiliando no tratamento de condições autoimunes. Além disso, os efeitos anti-inflamatórios do CBD podem contribuir para a sua influência positiva no sistema imunitário, apoiando a capacidade do corpo de manter o equilíbrio e a saúde.

Segurança e efeitos secundários do CBD

O perfil de segurança do CBD tem sido alvo de escrutínio, especialmente à medida que a sua popularidade continua a crescer. Em geral, o CBD é considerado seguro para a maioria das pessoas quando utilizado em doses apropriadas. No entanto, algumas pessoas podem experienciar efeitos secundários ligeiros, como boca seca, sonolência ou alterações no apetite. É essencial começar com uma dose baixa e aumentar gradualmente, conforme necessário, para minimizar o risco de efeitos adversos.

Vale a pena mencionar que o CBD pode interagir com certos medicamentos. Antes de incorporar o CBD na sua rotina de bem-estar, é crucial consultar um profissional de saúde, especialmente se estiver a tomar medicamentos prescritos ou tiver condições de saúde subjacentes.

Aspetos legais e regulamentares

O estado legal do CBD varia de país para país, tornando essencial que os consumidores compreendam as leis nos seus respectivos países ou estados. Em algumas regiões, o CBD é totalmente legalizado, enquanto que noutras pode estar apenas disponível para fins médicos ou até ser totalmente ilegal. 

Infelizmente, a falta de uniformidade nas regulamentações do CBD levou a desafios na indústria. Os consumidores devem dar prioridade à compra de produtos de CBD de empresas respeitáveis e transparentes (sim, como a HempyRoots 😉 ) que forneçam testes de laboratório de terceiros para garantir a qualidade do produto e a conformidade com os requisitos legais.

E em Portugal?

No contexto da lei portuguesa, compreender a legalidade do CBD é crucial para as pessoas interessadas no seu uso. Portugal adoptou uma abordagem progressista em relação à cannabis, incluindo o CBD, tanto para uso médico como pessoal.

Limites de THC: Os produtos de CBD vendidos em Portugal devem cumprir limites específicos de THC para serem considerados legais. Produtos com níveis de THC superiores a 0,2% não são permitidos para venda, uma vez que se enquadram na categoria de cannabis contendo concentrações mais elevadas de THC, que permanece ilegal para uso recreativo.

Qualidade e Segurança: O governo português atribui grande importância à garantia da qualidade e segurança dos produtos de CBD disponíveis no mercado. Como resultado, as empresas respeitáveis aderem a rigorosas normas de fabrico e qualidade para cumprir as regulamentações e garantir a segurança do consumidor.

Considerações de Viagem: É importante notar que, embora a posse de pequenas quantidades de produtos de CBD possa ser descriminalizada em Portugal, isso pode não ser verdade noutros países. Se planeia viajar internacionalmente com produtos de CBD, é de extrema importância pesquisar as leis e regulamentos específicos do país de destino para evitar possíveis problemas legais.

Conclusão

O aumento da popularidade do CBD suscitou uma onda de curiosidade sobre os seus benefícios potenciais e mecanismos de acção. Compreender a ciência por detrás do cannabidiol é vital para tomar decisões informadas sobre o seu uso e identificar as suas possíveis aplicações na saúde e bem-estar.

A interação do CBD com o sistema endocanabinóide, o seu impacto nos neurotransmissores e na percepção da dor, bem como as suas propriedades anti-inflamatórias, ansiolíticas e neuroprotectoras, todos contribuem para o seu potencial terapêutico. Embora a pesquisa sobre o CBD esteja em curso, e assim continuará por muitos anos, certamente, os resultados iniciais são promissores e os investigadores continuam a explorar os seus efeitos multifacetados.

Ao considerar a integração do CBD na sua rotina de bem-estar, lembre-se de consultar um profissional de saúde, especialmente se estiver a tomar medicamentos ou tiver preocupações de saúde subjacentes. Munido de um entendimento mais profundo da base científica do CBD, pode embarcar na sua jornada com este composto natural, explorando o seu potencial para apoiar a sua saúde e bem-estar geral.

E agora que chegou ao fim deste artigo, que tal explorar alguns dos melhores artigos de CBD disponíveis no mercado português? Espreite a nossa loja online e descubra o produto de CBD ideal para si. Dúvidas e questões? Entre em contacto e teremos o maior prazer em ajudar e aconselhar o melhor produto. 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *